Blog Ilton Muller

Ecoposteira Gramado produz sistema doméstico de aproveitamento de resíduos orgânicos

Jair Portulan colocou em prática a sua experiência, comercializando composteiras feitas com baldes ou caixas modulares para produção de adubo e biofertilizante


Se todo mundo gerenciasse seus resíduos em casa, não precisaríamos mandar nosso lixo para aterros sanitários em outras cidades. O comentário é do ambientalista Jair Portulan que tem se dedicado a ações de conscientização ambiental. Deste seu  trabalho e experiência nasceu, no início deste ano, a Ecoposteira Gramado, que produz e comercializa composteiras caseiras, além de oferecer uma assistência no uso do equipamento e orientação no manuseio do lixo doméstico. “É muito simples, basta ter dedicação. Além de gerenciar o lixo, a compostagem gera adubo e  biofertilizante que podem ser colocados em canteiros e floreiras.


Transmissão do conhecimento
A ideia de produzir composteiras domésticas surgiu da necessidade de ter uma renda. “Aproveitei o que já ensinava e fazia para criar a microempresa”, relata Jair, destacando que ao mesmo tempo o negócio está incentivando a educação ambiental. As composteiras produzidas por ele são formadas por três baldes ou caixas de plástico, empilhadas uma sobre a outra. As de cima são para receber os resíduos como cascas, restos de alimentos e a de baixo recebe o líquido (chorume) que é resultado da decomposição da matéria orgânica. O resultado é um adubo que pode ser  depositado em canteiros e vasos, além do biofertilizante que pode ser espalhado nos canteiros e s plantas. “Este processo é muito interessante. Mas é preciso paciência e dedicação”, afirma Jair. Ele frisa que este sistema não provoca mau cheiro e nem atrai moscas.

Além dos baldes ou caixas, Jair entrega um “lote” de minhocas californianas que contribuem para o processo de decomposição dos resíduos orgânicos. A escolha por este tipo de minhoca, segundo ele, se deve à fácil adaptação ao clima da região. “Elas gostam do frio. As minhocas vermelhonas daqui gostam do calor e do solo”, explica o ambientalista.
Jair mantém na sua casa nove caixas que formam três composteiras, nas quais gerencia os resíduos de quatro famílias. “Se cada família possuísse uma composteira, sendo ela de baldes ou compostagem no solo, qual a quantidade de lixo que deixaríamos de colocar no meio ambiente? Se cada um gerenciasse o resíduo que gera em casa, não precisaríamos de coleta de lixo orgânico”, comenta.
Ele frisa que não é preciso investir em composteiras feitas com baldes ou caixas. “A pessoa pode destinar um espaço no pátio e ir depositando ali os resíduos orgânicos”, ressalta Jair, explicando que o material deve ser coberto com grama ou terra e ser revirado com frequência, para não atrair moscas.
Jair lamenta as atuais ações das Prefeituras que transferem para outras cidades todo o lixo coletado nas cidades. “Vai junto o orgânico com o rejeito”, lamenta. “Ao fazer isso, estamos literalmente  jogando dinheiro no lixo”, frisa. Na opinião dele, somente o rejeito (papel higiênico, embalagens de comida, etc.) deveriam ser levados para aterros.

Acompanhamento presencial e online
Além do equipamento e das minhocas, Jair oferece todo um acompanhamento presencial ou através de grupo de WhattsApp e redes sociais. “O importante é conhecer o processo que é anaeróbico. Não devemos ter pressa para encher as caixas ou os baldes. Isso veio do solo e estamos devolvendo para o solo”, ensina Jair. 
Junto com a composteira, Jair tem entregue  mudas de Ora Pro Nobis, uma plante rica em vitaminas e  que aumenta a imunidade. “Não queremos apenas vender as composteiras, mas incentivar uma  prática de vida saudável. Estamos propondo uma consciência ambiental”, afirma.

Educação ambiental é o caminho
Para Jair Portulan, para a solução dos problemas ambientais, os municípios deveriam concentrar ações nas escolas. “A educação ambiental deve começar pelas crianças. Elas é que vão propagar a ideia e provocar os pais para o assunto”, comenta Jair.


Como conhecer e contatar
Ecoposteira Gramado
(54) 9 9671-6471 / (54) 9 9671-5858
https://www.facebook.com/ecoposteira.gramado/about
https://www.instagram.com/ecoposteiragramado/


A série MEIO AMBIENTE E TRABALHO encerra nesta sexta com a reportagem com  Luiz Meinhart, que diariamente percorre as ruas de Gramado coletando latinhas de alumínio para reciclagem.

Tags:Meio Ambiente e Trabalho

Confira outros posts

Gramado Viva faz coleta de lixo eletrônico e reciclados nesta quinta (3)
Movimento de empresários defendeu flexibilização da atividade econômica
Gramadozoo redobra cuidados com animais no frio

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!