Blog Ilton Muller

Um major, uma casa e muita história

Depois de 13 anos, está aberto o Museu Major José Nicoletti Filho

Parte da história de Gramado passa por um casarão centenário, de madeira, na esquina da Avenida Borgesa de Medeiros e Rua Emílio Sorgetz, no Centro da cidade. Na popular Rua Torta. Nesta quarta-feira (07) o Museu Major José Nicoletti Filho foi apresentado à comunidade, com o registro da história do município e do próprio Major, primeiro subintendente da localidade quando Gramado ainda era Distrito de Taquara.

Se passaram 13 anos desde a aquisição do imóvel pela Administração Pública até o restauro e implementação do museu. Enfim, no ano de seu centenário, a Casa do Major abriu as portas definitivamente para contar aos que visitarem o local quem foram as mulheres e homens que, com muito trabalho e amor, construíram esse município que serve de referência a todo o Brasil.

O secretário da Cultura, Ricardo Bertolucci Reginato, destacou o papel importante da atual administração na preservação da memória de Gramado. “Essa é a realização de um sonho de muitos gramadenses. Foi uma grande batalha que contou com muitos gestores e muitos esforços, e coube a mim estar à frente da Secretaria da Cultura nesse momento tão importante para Gramado. Abrir as portas dessa casa à nossa comunidade é valorizar nosso patrimônio histórico e a cultura de Gramado em um local de imensa visitação. A história de Gramado será contada a milhares de pessoas e esse será um local fundamental em nossos projetos de educação patrimonial”, destacou o Secretário da Cultura de Gramado, Ricardo Bertolucci Reginato.

O prefeito Nestor Tissot destacou a importância do trabalho conjunto de várias mãos e do apoio da iniciativa privada em todo o processo de restauração e abertura da casa. “Muitas pessoas são responsáveis por esse momento. Parabenizo a equipe da Secretaria da Cultura e toda a nossa equipe de governo. Também agradeço a Hasam Incorporações, que custeou o restauro da casa e desejo muito sucesso para a Lugano, que assume a cafeteria”, disse.

 

O café e os jardins

Anexo ao Museu, foi instalada a cafeteria de uma das mais tradicionais empresas de Gramado, a Lugano. Além de seu café, a Lugano desenvolveu um projeto de paisagismo, preservando a vegetação histórica e valorizando ainda mais o espaço museológica e criando uma área de convivência.

O recurso vindo do aluguel da cafeteria vai para o Fundo Municipal de Cultura e para a sustentabilidade do próprio museu. Já a outorga paga pela Lugano ao ganhar a licitação, foi usada para a montagem do museu em um processo pensado para gerar sustentabilidade ao espaço e economicidade aos cofres públicos.

Vale ressaltar que a área externa do museu é de uso comum e receberá, inclusive, projetos de valorização patrimonial, crianças das escolas do município e a própria comunidade gramadense.

A visitação ao Museu Major José Nicoletti Filho é gratuita, de terça-feira à domingo, das 9h às 17h.

 

Foto: Museólogo Márcio Carvalho, Francisco Luz da diretoria da Lugano, secretário Ricardo e prefeito Nestor Tissot.

 

Crédito: Ascom/PMG

Tags:Memória de Gramado

Confira outros posts

Ideia de vereador revela desrespeito com quem luta contra o coronavírus
Três Moções de Aplausos são entregues em sessão solene desta terça-feira
Inscrições para o Concurso de Decoração Brilha Gramado vão até o dia 25

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!