Blog Ilton Muller

Pedido de manutenção de isenção de tarifa de pedágio para moradores e rejeição à duplicação das estradas

Esses foram os temas predominantes na audiência pública da Câmara de Vereadores de Gramado

O novo modelo de concessão das rodovias pedagiadas do RS e o seu impacto no município foram os temas da audiência pública promovida pela Câmara de Vereadores de Gramado na noite desta terça-feira (10). O evento ocorreu no Plenário Julio Floriano Petersen e foi presidido pelo vereador Professor Daniel e teve a participação do secretário de Planejamento de Gramado, Rafael Barros; e do diretor de Trânsito da Prefeitura, Tiago Procópio.

As sugestões da população serão incluídas em um documento a ser entregue ao Governo do Estado. A transmissão completa da audiência pública está disponível no Facebook (facebook.com/camara.gramado) e no Youtube (youtube.com/camaragramado) do Legislativo.

 

Contra a duplicação das estradas

Um dos pontos criticados foi o projeto de duplicação das RS-115 (Gramado Taquara) e da RS-235 (Nova Petrópolis-Gramado). A maioria dos participantes da audiência rejeitou a ideia, defendendo uma maior concentração de obras menores e de curto prazo que ofereçam mais segurança aos pedestres e motoristas. Entre as propostas apresentadas estão passarelas e melhorias nos acessos aos bairros Vila do Sol, Várzea Grande Avenida Central e Carniel, por exemplo. Foram criticadas obras incluídas no projeto que prevêem, por exemplo, a construção de viadutos na RS-115 (na curva do S) que exigiriam grandes investimentos e teriam pouco resultado na segurança e mobilidade, além de impactarem (pelo seu alto custo) no valor da tarifa de pedágio.

A duplicação das estradas além de torná-las uma Via Expressa, dividiram comunidades como destacou Marcelo Neumann. “É lindo olhar este número de obras que oneram, mas não trazem solução prática. Necessitamos de ligação da estrada velha (Avenida Central) com Canela. E qual a multa para a empresa concessionária vai receber se não executar as obras previstas?”, frisou. Em vez de pista dupla, foi sugerida a construção de uma terceira pista, em alguns trechos.

Éder Leandro Rossa lembrou os diversos pedidos e abaixo-assinados pedindo soluções práticas e urgentes, como rótulas e passarelas, melhorando a travessia e acessos aos bairros cortados pelas duas estradas. “Tem que ser pensado nas pessoas”, frisou.

Carolina Bolfe também lembrou a necessidade de melhorar as travessias e acessos na estrada Canela Gramado, principalmente nos bairros Avenida Central e Carniel.


Manutenção da isenção de tarifa

Outro ponto bastante debatido foi o cancelamento das isenções de tarifas que moradores da Linha Araripe possuem atualmente. “E é uma conquista que não podemos perder” afirmou Meri Arend. Ela citou que a Linha Araripe estava isolada do restante da cidade e que da localidade e de Nova Petrópolis são oriundos muitos trabalhadores que atuam em Gramado e Canela. “Eles precisam ir de carro para o trabalho por que o transporte coletivo não atende bem”, disse ela.

Os moradores da Linha Araripe entendem que se a isenção total não for mantida,  que o município verifique uma forma legal de reverter aos moradores parte do tributo recebido por conta da concessão  privada.


 

Obras propostas

O investimento previsto em obras para Gramado, diante do novo modelo de concessão, por um período de 30 anos, é de R$ 341 milhões – sendo R$ 107 milhões em ampliações, R$ 99 milhões em melhorias e R$ 135 milhões em manutenção e recuperações. A proposta do Estado é que a concessionária amplie as pistas duplicadas de 4,36 km para 31,97 km. Ou seja: poderão ser duplicados em torno de 26 km de rodovias que cruzam Gramado.

A previsão é que existam duas rótulas alongadas. Uma delas é proposta para a RS-373, na Serra Grande; a segunda deverá ser inserida na RS-235, no acesso ao Vale dos Pinheiros e ao bairro Carazal. No entanto, não aparecem no planejamento do Estado sugestões de obras para os bairros Jardim, Várzea, Carniel e Avenida Central. "Estas são questões que nos preocupam. Este é o momento de mobilização da comunidade, em que devemos fortalecer quais são as nossas questões", afirma o presidente do Legislativo, vereador Professor Daniel (PT).

Também estão sinalizadas duas obras de arte especiais que consistem, na prática, em viadutos na RS-115: um na entrada da Linha Carahá, de R$ 29,9 milhões; e outro na "curva do S", de R$ 54,3 milhões.

 

Foto: Paulo Vargas/Divulgação

Tags:Concessão de estradas

Confira outros posts

Rick Hempe comemora 50 anos de carreira
Família Michaelsen apresenta o condomínio Laken
Microcrédito beneficiará empreendedores no desenvolvimento de seus negócios na região

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!