Blog Ilton Muller

Já tramita na Assembleia projeto que denomina a a estrada do Caracol como Rodovia Guilherme Wasem

Homenageado foi o primeiro morador da região do Caracol

No final de maio, Adriane Brocker Boeira Guimarães, CEO do Grupo Brocker e Gilberto Cezar, vice prefeito de Canela, estiveram em Porto Alegre, no gabinete do deputado estadual Mateus Wesp e, com o apoio da comunidade do Caracol, solicitaram a mudança de nome da rodovia RS-466, para Rodovia Guilherme Wasem. Este pedido comunitário, teve como proponente em Canela, o vereador Alfredo Schaffer e o apoio do prefeito Constantino Orsolin. Este pedido tornou-se no Projeto de Lei nº 152/2021, proposto por Mateus Wesp, e está em tramitação na Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul.

A RS-466 é a rodovia estadual que liga o Parque Estadual do Caracol à ERS 235, nas proximidades da entrada da cidade de Canela, numa extensão de 7,2 Km. No Parque Estadual do Caracol está localizado um dos principais pontos turísticos do Rio Grande do Sul, a "Cascata do Caracol", de reconhecimento nacional e internacional por sua exuberância e magnitude.

 

Imigrantes prussianos

O primeiro morador do Caracol foi Guilherme Wasem e sua esposa Bárbara, imigrantes prussianos vindos de Dörrebach (no estado da Renânia-Palatinado) e seus filhos. Eles haviam chegado ao Brasil em junho de 1847, se estabelecendo na Colônia Campo Ocidental, hoje Hamburgo Velho, onde viveram durante quase 20 anos.

Guilherme Wasem obteve junto ao Império do Brasil um bom espaço de terra, dividido entre arroios e foi construindo seu novo lar próximo a cascata do arroio do Caracol. A própria cascata foi batizada, inicialmente, de Cascata Wasem. Lá ergueram casa e celeiro para depósito, viveram e trabalharam durante anos. Com o passar dos anos os filhos de Guilherme e Bárbara foram formando suas próprias famílias, e outros moradores foram se fixando no Caracol. Era o processo embrionário de uma comunidade pujante.

 

Notoriedade econômica ao Caracol

A exploração da madeira da araucária, nas primeiras décadas de 1900, fez com que o Caracol ganhasse notoriedade econômica e social. Com o tempo veio o progresso para região, em razão da conclusão da linha férrea Taquara-Canela, em 1924. A Cascata do Caracol desde aqueles idos de 1910, já atraia muitos visitantes, o que passou a crescer com o desenvolvimento da região. Motivado pelos números de visitação aliados ao cenário paisagístico ímpar, o Governo do Estado do Rio Grande do Sul no final da década de 50, do século passado, desapropriou parte das terras que pertenciam a Pedro da Silva Nunes, descendente dos Wasem, para a criação do Parque Estadual do Caracol.

Passado mais de 150 anos da chegada de Guilherme Wasem e sua família no Caracol, muitos de seus descendentes ainda residem na região de Canela e Gramado, dedicando-se as mais variadas atividades. Em reconhecimento ao desbravador da região do Caracol e em memória daqueles que, com doação e sacrifício, iniciaram nossa história, é uma justa homenagem e reconhecimento da Assembleia Legislativa gaúcha denominar a ERS 466 de "Rodovia Guilherme Wasem".

 

Tags:Homenagem

Confira outros posts

Boate Kiss: julgamento marcado
Bandeira preta não é período de férias, alerta diretor do São Miguel
Rock Na Pista será atração para a temporada de Natal

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!