Blog Ilton Muller

INPI reconhece registro de capital do chocolate artesanal no Brasil

Incluem-se entre os produtos da Indicação de Procedência  as barras, as ramas, os bombons, as trufas e as drágeas feitas de chocolate ao leite, chocolate branco, chocolate meio amargo e chocolate amargo, todos com massa de cacau inteiramente produzida em


O Instituto Nacional de Propriedade Industrial - INPI publicou na Revista da Propriedade Industrial (RPI) 2632, desta terça-feira (15), a concessão de Indicação Geográfica (IG), da espécie Indicação de Procedência (IP), para o chocolate artesanal produzido nas limitações geopolíticas do município de Gramado. O pedido da IG foi solicitado pela Associação da Indústria e Comércio de Chocolates Caseiros de Gramado, em 26 de julho de 2018.
Incluem-se entre os produtos da Indicação de Procedência  as barras, as ramas, os bombons, as trufas e as drágeas feitas de chocolate ao leite, chocolate branco, chocolate meio amargo e chocolate amargo, todos com massa de cacau inteiramente produzida em Gramado. O processo produtivo está diretamente influenciado pelo conhecimento tradicional dos produtores e pelas características climáticas da cidade. Além disso, o produto é uma das representações de Gramado e está consolidado na memória das pessoas, o que se reflete na sua associação ao turismo da região, destacou o INPI ao conceder o registro.

O chocolate artesanal de Gramado
Com base na documentação apresentada ao INPI, a presença do chocolate na cidade de Gramado se iniciou em 1975 com a inauguração da primeira fábrica de chocolate caseiro. A partir da expansão das empresas, o produto se tornou reconhecido e comercializado em todo o País. Em 1994, a reputação de Gramado como tradicional produtor de chocolate se refletiu na fundação da Chocofest, festival de chocolate que entrou para o Livro dos Recordes (Guiness World Records) nos anos de 2007, 2009 e 2014, com a produção dos maiores coelhos de chocolate do mundo.

O que é a Indicação Geográfica?
A Indicação Geográfica é um sinal constituído por nome geográfico (ou seu gentílico) que indica a origem geográfica de um produto ou serviço. Apenas os produtores e prestadores de serviços estabelecidos no respectivo território (geralmente organizados em entidades representativas) podem usar a IG.
A espécie de IG chamada Indicação de Procedência se refere ao nome de um país, cidade ou região conhecido como centro de extração, produção ou fabricação de determinado produto ou de prestação de determinado serviço.
Já a espécie Denominação de Origem reconhece o nome de um país, cidade ou região cujo produto ou serviço tem certas características específicas graças a seu meio geográfico, incluídos fatores naturais e humanos.

A secretária de Turismo, Rosa Helena Volk destaca a importância da certificação para os chocolates produzidos em Gramado. “A Indicação Geográfica do Chocolate é um grande diferencial para Gramado. Nosso produto mais vendido e que divulga nossa cidade pelo país ganha agora um selo de procedência. É um sonho antigo que demos início na nossa administração anterior”, disse.
“Nossos produtos tão apreciados pelos visitantes mundo afora agora ganham mais um grande diferencial. É uma certificação que buscamos por anos, mas que agora foi concluída, com isso vamos usar a marca Gramado além-fronteiras. Só tenho a agradecer todos os envolvidos, mas principalmente aqueles que produzem essa iguaria procurada por todos que aqui chegam”, destaca o prefeito Nestor Tissot.

Tags:Registro aprovado

Confira outros posts

Administração municipal faz homenagem ao GramadoZoo e ao Hotel Colline de France
Centro Integrado de Desenvolvimento e Inovação foi apresentado à ACIC
Gramado altera feriado de Ascensão do Senhor de quinta para sexta-feira

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!