Blog Ilton Muller

Igrejas Luteranas de Gramado celebram o Dia da Reforma, domingo (31)

Pastor Oscar Miguel Lehmann destaca que os cristãos devem dar um testemunho de diálogo e humildade, sem individualismo, discriminação e desrespeito

No próximo domingo, 31 de outubro, serão comemorados os 504 anos da Reforma Luterana. Neste dia, as Igrejas Evangélica Luterana do Brasil - IELB e a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil – IECLB de Gramado celebrarão Culto Ecumênico na Sociedade União da Serra, próximo à Comunidade Evangélica Serra Grande II, às 20 horas.

Nesta data, em 1517, o monge católico Martinho Lutero (imagem acima), depois de longos anos de reflexão a respeito da prática religiosa da época, pregou 95 teses na porta da catedral de Wittenberg, na Alemanha. Estas teses continham questionamentos a respeito de várias práticas de então, especialmente no que diz respeito à compra do perdão dos pecados através do dinheiro. Essa e outras práticas não tinham base bíblica, motivando a proposta de reforma da igreja.

Lutero traduziu o Novo Testamento da Bíblia, do latim para a língua alemã, pois entendia que todo povo deveria conhecer a verdade a respeito de Cristo.

 

Celebrar a Reforma

Para o pastor da IECLB, Oscar Miguel Lehmann, que atua na Comunidade Evangélica da Várzea Grande, a proposta não é comemorar uma divisão. “Celebrar o evento que dividiu a Igreja em 1517 não significa promover a separação entre cristãos. Celebrar o 31 de outubro, Dia da Reforma, significa reconhecer o Senhorio de Cristo. E, desse modo, sob Cristo, os cristãos devem dar um testemunho de diálogo e unidade. Os tempos atuais, marcados pelo individualismo, discriminação e desrespeito exigem humildade e diálogo!”, afirma

Ele acrescenta que “dialogar nem sempre é um exercício fácil, precisa ser tarefa constante. Significa, entre outras coisas, reconhecer no outro, no nosso semelhante, o respeito pela sua experiência de fé e suas convicções. Antes e acima de tudo, o tema da justificação pela fé (Romanos 1.17), texto motivador de Martim Lutero, quer nos conduzir a Cristo, como único Senhor da igreja. Que possamos celebrar este 31 de outubro como um testemunho conjunto que nos aproxima e nos une na possibilidade de transformar o mundo num lugar mais humano, justo e fraterno”, conclui o pastor Oscar Miguel Lehmann (na foto abaixo, com a esposa, diácona Telma Merinha Kramer).

Confira outros posts

Eva Wilma está na origem do Festival de Cinema de Gramado
Cláudio Souza assume presidência do Sindtur a partir de janeiro
Bazar Solidário comercializará roupas e acessórios novos

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!