Blog Ilton Muller

Exposição sobre a Antártica, com fósseis de mais de 50 milhões de anos, segue até janeiro

Mostra inédita ocorre no Geo Museu, em Gramado, segue até janeiro

Estudar a Antártica, do ponto de vista de mudanças climáticas, é um dos objetivos das pesquisas atuais sobre o clima pela importância do continente no cenário mundial, e pela busca de conhecimento já que a "descoberta" da Antártica completou apenas 200 anos em 2020.

E, Gramado, através de uma iniciativa do Geo Museu, em parceria com a Unisinos, entra na rota destas discussões atuais recebendo, até 30 de janeiro de 2022, a inédita exposição Da Floresta ao Deserto de Gelo - Pesquisas Geológicas na Antártica. É uma uma verdadeira "viagem ao passado".

Desde que a estação brasileira na Antártica teve um incêndio em 2012, o Brasil conta com uma cooperação muito grande na reconstrução do local e suas pesquisas. Em janeiro de 2020, a nova Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF) foi inaugurada para substituir a antiga destruída pelo fogo.

Durante seis meses a exposição está sediada no tradicional museu gramadense, um dos maiores do país com uma área de cerca de três mil metros quadrados e que tem exposição permanente de pedras preciosas raras.

 

Acampamento, fotografias e materiais fósseis

A exposição oferece experiências reais e vivências com momentos marcantes como:

- A montagem de um acampamento real com itens utilizados em expedições do Programa Antártico Brasileiro como barracas, bandeiras do Brasil desgastadas pelo clima da Antártica, e equipamentos utilizados pelos pesquisadores;

- Exposição de materiais fósseis de animais e plantas e de rochas descobertos no Continente Antártico. Serão mais de 50 amostras históricas (algumas amostras com mais de 50 milhões de anos);

- Exposição fotográfica do renomado fotógrafo paulista Edson Vandeira, especializado em aventura, cultura e ciência. Com fotos incríveis do continente gelado, Edson tem seu trabalho representado inclusive pela National Geographic Image Collection (EUA), e há 7 anos apoia o Programa Antártico Brasileiro, como um dos alpinistas responsáveis pela segurança dos cientistas durante a permanência e nos deslocamentos na Antártica;

- Documentos e equipamentos históricos como mapas antigos e equipamentos dos profissionais de Geologia da Unisinos.

Toda a exposição é acompanhada de banners com conteúdos informativos técnico-científicos sobre a Geologia geral da Antártica. Também fazem parte do cenário da exposição, vídeos com imagens captadas por drone e helicóptero. A exposição receberá ainda capacitações com alunos e professores ao longo dos seis meses.

A exposição em Gramado tem a curadoria do cientista, paleontólogo e professor da Geologia Unisinos, Rodrigo Horodyski.

 

SERVIÇO:

Exposição Da Floresta ao Deserto de Gelo - Pesquisas Geológicas na Antártica

Onde: Geo Museu

Gramado

Quando: De 30 de julho de 2021 a 30 de janeiro de 2022

Horários: Segundas, terças, quintas, sextas, sábados e domingos das 8:30 às 17:00

Quartas-feiras: fechado

Ingressos: Valores e compras online: https://ingresso.geomuseu.com.br

 

Fotos: Fláviuo Prestes

Tags:Fotos e documentos

Confira outros posts

Sindicato dos Trabalhadores na Hotelaria e Gastronomia faz pesquisa
Assembleia digital da Sicredi Pioneira RS entra na última semana de votação
Santa Sede Canela lança seu primeiro livro

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!