Blog Ilton Muller

Assinado termo que busca igualdade racial e representatividade à comunidade negra

Iniciativa da Defensoria Pública e Prefeitura de Gramado foi assinado nesta terça-feira

Com o objetivo de buscar igualdade racial e representatividade à comunidade negra, foi oficializado, em Gramado, na terça-feira (21), um termo de cooperação. A iniciativa inédita foi construída pela Defensoria Pública do Estado (DPE/RS e pela Procuradoria do Município para que a cidade e o Estado criem políticas públicas voltadas ao combate ao racismo.

As ações envolvem as secretarias da Administração, Turismo, Cultura e Educação. A data escolhida possui uma simbologia, uma vez que recentemente o governo federal instituiu o dia 21 de março como o Dia Nacional das Tradições das Raízes de Matrizes Africanas. O evento teve intervenções artísticas dos músicos Juliano Barreto e Lucas Azevedo e da poetisa Jéssica Rodrigues (foto abaixo).

Para o defensor público Igor Menini, o termo é uma movimentação do município para dar visibilidade a história do negro na região. Ele destaca que historiadores da Bahia que visitaram Gramado perceberam que não há monumentos turísticos que relacionam a história da cidade com a dos negros na região. Durante dois anos, a Defensoria Pública analisou os principais pontos da cidade:

“Eles sabiam da importância dos negros, como, por exemplo, os tropeiros, e também os construtores da estrada de ferro entre Canela e Taquara. Constatamos essa invisibilidade e fizemos estudos para mostrar nos espaços a história do negro na região, levar essa pauta para trabalhar mais intensamente nas escolas. Ele é inédito porque busca a igualdade étnico-racial através do consenso, que é muito difícil hoje”, destacou Menini.

“A assinatura desse documento vai marcar a ampliação dessas ações junto a todos os segmentos da nossa sociedade”, afirma o vice-prefeito Luia Barbacovi. “É um termo que dá início a uma nova era e uma nova história de respeito às tradições afrodescendentes no município”, define a procuradora-geral de Gramado, Mariana Melara Reis.

 

Políticas públicas iniciam em abril

A ideia é que as políticas públicas comecem a ser colocadas em prática a partir de abril.

O termo prevê ações de valorização da herança cultural negra em Gramado. Também estabelece um fluxo de atividades: a partir do momento em que a Defensoria Pública de Gramado receber qualquer denúncia de discriminação racial, encaminhará ofício ao município, dando-lhe conhecimento e requerendo a adoção de medidas administrativas, quando forem necessárias.

O documento incentiva a participação da população negra, em condição de igualdade, na vida econômica, social, política e cultural.

 

 

 

Homenagens

Além da assinatura do termo, o Executivo Municipal e a Defensoria Pública homenagearam personalidades negras que contribuem para o desenvolvimento de Gramado e que atuam na causa em todo o Estado do Rio Grande do Sul. Foram homenageados todos os servidores públicos municipais negros, em nome de Luiz Vanderlei Santos Rodrigues, o procurador do Estado RS Jorge Terra, o ator e ativista Sérgio Rosa, o defensor público dirigente do NUDIER Andrey Melo, as ativistas do movimento “Sol Nascente” Marigley da Silva Machado e Tais Oliveira Silveira, a representante do Sankofa Marini Ferreira e a protagonista da Fantástica Fábrica de Natal, Lara de Almeida Madeira.

 

Crédito das fotos: Ilton Müller

 

Tags:Momento histórico

Confira outros posts

Ministro do Turismo do Uruguai confirma presença no Festuris
Grupo Força Tarefa apresenta demandas para os vereadores de Gramado
Vacinação contra Covid-19 e gripe na Rua Coberta, sexta-feira

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!