Blog Ilton Muller

Aldeia Kaingang Kógunh Mág compartilha suas vivências e diversidade cultural

Situada em Canela, aldeia dedica abril como mês para reflexão dos povos indígenas

Atualmente existe um movimento de valorização da pluralidade étnica e cultural dos povos originários no Brasil. Este movimento tem impulsionado importantes e necessárias mudanças na sociedade brasileira. Como um dos marcos, dessas mobilizações, temos a celebração e reflexão proposta pelo Dia dos Povos Indígenas (19 de abril), que substitui o antigo “Dia do Índio”, a partir da Lei 14.402, promulgada em 08 de julho de 2022. O propósito central da mudança é evitar estereótipos e reforçar as identidades e a diversidade cultural desses povos.

O projeto cultural da aldeia Kaingang Kógunh Mág, de Canela, que está sendo realizado com recursos do Pró-Cultura RS FAC - Fundo de Apoio à Cultura, do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, agora no mês de abril, chega na sua quarta etapa de ações nas regiões das Hortênsias e dos Campos de Cima da Serra (Canela, Gramado e São Francisco de Paula), trazendo maior consciência e conhecimento sobre a riqueza cultural dos Kaingang.

 

Refletir sobre os direitos indígenas

Estas atividades, que acontecerão, nas próximas semanas, têm como objetivo refletir e dar visibilidade aos direitos e garantias dos povos indígenas, debater os problemas, que afetam essas populações e mobilizar a atuação, em defesa dos povos originários, além de possibilitarem o compartilhamento de suas vivências, enquanto habitantes deste território há centenas de anos.

A aldeia ainda firmou parceria com Secretaria de Educação de Gramado, que adquiriu 300 exemplares do livro A araucária e a gralha-azul: uma história dos antigos Kaingang. A obra infantil conta o mito de origem sobre a relação ecológica deste povo e sua espiritualidade, passada de geração em geração.

“Esta parceria é muito importante para nós. Iremos transmitir essa história infantil para 12 turmas das escolas de Gramado, além de receber outras na Flona, onde também mostraremos nossa aldeia a elas”, informa o cacique Mauricio Salvador.

Para completar o mês de intensa programação do Abril Indígena, a Kógunh Mág foi convidada a estar presente em Porto Alegre, dia 18/04, para 3 atividades em locais estratégicos e históricos: a Biblioteca Pública do Estado, a Escola Superior do Ministério Público e o Museu Júlio de Castilhos, onde o cacique e outros membros da aldeia participarão de debate, exibição de documentário sobre a Retomada de seu território e contação de histórias.

 

Agenda de abril - Aberto ao público:

18 de abril - terça-feira

15h – Clube de leitura da Biblioteca Pública do Estado*

18h – Debate na Fundação do Ministério Público*

19h – Exibição de documentário e debate no Museu Júlio de Castilhos*

*em Porto Alegre

 

19 a 21 de abril - quarta a sexta-feira

11h às 19h - Exibição do documentário (ao longo do dia)

Local: Museu do Festival de Cinema de Gramado – Gramado

 

20 de abril - quinta-feira

19h - Apresentação de dança e bate papo cultural

Local: UAB Polo Véra Grin - Gramado

 

21 de abril - sexta-feira

15h - Exposição e oficina de artesanato

Local: Lago Negro - Gramado

Inscrições antecipadas pelo Instagram @kaingangcanela

21h – Live indígena do Museu do Festival de Cinema: @museucinemagramado

 

22 de abril - sábado

14h30 - Painel sobre o manejo de cipós e taquaras

15h30 - Atividades esportivas

Local: FLONA – Canela

 

27 de abril

19h30min - Exibição do documentário e debate

Local: UERGS Ho

Tags:Mês indígena

Confira outros posts

Prefeito Nestor Tissot retorna de Brasília com R$ 17 milhões captados
Festas de final de ano em meio à natureza do Parador Hampel
Centro Integrado de Desenvolvimento e Inovação foi apresentado à ACIC

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!