Blog Ilton Muller

Agricultores de Gramado recebem selo de produção orgânica

A qualidade e procedência agroecológica foram certificados pela Rede Ecovida, em trabalho incentivado pela Emater-Ascar

Seis produtores rurais, a maioria integrantes da Associação dos Produtores Orgânicos de Gramado – APOG, receberam recentemente o Certificado de Conformidade Orgânica, que valoriza a origem saudável dos produtos. Outros integrantes da APOG já têm encaminhado o pedido de certificação/selo que é conferido pela Associação Ecovida. Esse processo de busca do Selo Ecovida iniciou em 2019.

Os produtores já certificados são Guilherme Zimmermann, José Foss, Vicente Marcon, Erni Cavichioni, Sônia Melo e Vanderlei Marschner. “É uma grande recompensa para a gente”, afirma Guilherme Zimmermann, que destaca que o processo é demorado em função das exigências a serem cumpridas. Os produtos podem ser encontrados nas manhãs de sábado na Feira Orgânica que ocorre na Praça das Etnias. Os estandes destes produtores faz frente para a praça. No mesmo ambiente, mas com frente para a Rua João Corrêa, ocorre a feira convencional.

Apoio da Emater Gramado

O escritório local Emater teve trabalho importante neste processo de certificação. “A Emater foi incentivadora para que se fizesse a certificação orgânica. Auxiliou em todo o processo, orientamos tecnicamente os agricultores na produção orgânica, assim como no encaminhamento da documentação necessária. “Ficamos muito felizes por finalmente conseguir a certificação, pois este grupo trabalhou por mais de 20 anos de forma orgânica, porém não certificada. Acreditamos que esta conquista é importante para os produtores e para o município de Gramado destaca a engenheira agrônoma Janete Basso Costa, extensionista da Emater/RS-Ascar.

 

Perseverança dos produtores

O casal Francisca e José Foss, produz verduras há 17 anos de forma orgânica na Várzea Grande e na Linha Carahá. “Começamos a produzir sem usar agrotóxico numa terra limpa, que nunca tinha recebido veneno”, afirmou ele, destacando que a opção pela forma agroecológica de produção foi para oferecer um alimento saudável. Ele iniciou quando a Feira ainda funcionava na Rua João Corrêa, entre a Brigada Militar e o então prédio da Coogramado (hoje ali existe um hotel). “O começo não foi fácil. Trazia uma caixa de verduras e voltava com tudo. Fazia a feira e não tirava nem a despesa da gasolina. Fui insistindo, insistindo e hoje, graças a Deus, deu certo”, afirmou José Foss. No momento, ele conta com o apoio do filho Bruno.

Guilherme Zimmermann produz de forma orgânica há quatro anos. Ele comenta que o processo de certificação foi longo e traz muitos benefícios aos clientes, como a segurança e garantia da procedência dos produtos. “Nós somos fiscais de nós mesmos”, explica. Ele cita que são realizadas reuniões e fiscalizações em todas as propriedades dos associados.

 

Certificação participava

A Rede Ecovida de Agroecologia é pioneira no desenvolvimento da certificação participativa, metodologia de verificação da conformidade que hoje é também conhecida como Sistema Participativo de Garantia. Neste processo, a concessão e fiscalização do certificado têm a participação dos próprios produtores e consumidores.

O funcionamento da Rede é horizontal e descentralizado e está baseado na organização das famílias produtoras em grupos informais, associações ou cooperativas. Estas organizações se articulam com associações ou cooperativas de consumidores, ONGs e outras instituições e formam um Núcleo Regional, circunscrito a determinada área geográfica.

No caso da Rede Ecovida de Agroecologia, o Sistema Participativo de Garantia se dá em torno do Produto Orgânico e a credibilidade é gerada a partir da seriedade conferida à palavra da família agricultora e se legitima socialmente, de forma acumulativa, nas diferentes instâncias organizativas que esta família integra.

Assim, a primeira instância de certificação é a palavra do agricultor e de sua família. A seriedade do trabalho desenvolvido pela família é referendada pelo grupo do qual ela faz parte, através da Comissão de Ética deste grupo. Este grupo por sua vez tem seu trabalho referendado pelo Núcleo Regional do qual ele participa, através do Comissão de Ética do Núcleo. Os produtos oriundos deste Núcleo são respaldados por todos os demais Núcleos, que possuem em comum, normas de produção e 4 patamares mínimos de funcionamento, o que os permite legitimarem-se mutuamente, através da Rede Ecovida de Agroecologia.

 

Na foto acima, produtores que atuam na Feira Orgânica nas manhãs de sábado comemoram as conquistas dps agroecologistas.

Na foto abaixo, José Foss, que se dedica à agroecologia há 17 anos

Crédito das fotos: Ilton Müller

Tags:Agroecologia

Confira outros posts

O antigo prédio da Estação Férrea de Canela, na década de 90
Audições para formação do elenco do espetáculo A Fantástica Fábrica de Natal, sábado e domingo
Gramado vacina faixa etária acima de 36 anos na tarde desta sexta-feira

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!