Blog Ilton Muller

A premiada Laticínios Ruppenthal está na Festa da Colônia de Gramado

Ela é uma das agroindústrias gramadenses que participam do evento que segue até o dia 17 deste mês.

O ano de 2021 está sendo especial para a Laticínios Ruppenthal, da Linha Marcondes, interior de Gramado. A agroindústria de derivados de leite conquistou duas premiações em eventos estaduais neste ano. No 9º Concurso de Produtos da Agroindústria Familiar, na Expointer o empreendimento conquistou o segundo lugar na categoria Queijo Colonial. E foi medalha de prata no concurso de Doce de Leite promovido pela AGL - Associação Gaúcha de Laticinistas e Laticínios do Estado. “Concorremos com marcas fortes e tradicionais”, orgulha-se Everson Ruppenthal.

Estes e outros produtos podem ser adquiridos no estande da agroindústria na Festa da Colônia de Gramado, que segue até o dia 17 de outubro no complexo do Expogramado.

 

Tradição na produção leiteira

As premiações são o reconhecimento do trabalho da família Ruppenthal há três gerações. Primeiro com a produção de leite que tinha como destino as indústrias de laticínios, e nos últimos quatro anos com a agroindústria instalada na propriedade da família. O negócio é comandado pelo casal Romeu e Silvani Ruppenthal e pelos filhos Everson, Rafael e Oto.

Segundo Everson, o sucesso dos produtos da Laticínio Ruppenthal está na produção caseira, sem uso de conservantes ou aromatizantes. Toda a matéria-prima tem origem na propriedade da família. São em torno de 1.200 litros de leite por dia, tirados de 45 vacas das raças Holandesa e Jersey.

A agroindústria produz queijo colonial e temperado com chimichurri, alho e orégano, queijo coalho e iogurtes em potes e litro. E se prepara produzir nata.

A produção é vendida principalmente para adegas e casas de fondue de Gramado e Canela, além da Casa do Colono e Cooperativa Planalto.

 

Incentivo para a produção

Everson destaca o incentivo que recebeu da Prefeitura de Gramado e da Emater para a instalação da agroindústria. “A gente tinha um pouco de medo para começar”, lembra Everson. Em visita ao estande para cumprimentar a família pelas premiações, o prefeito Nesror Tissot lembrou a sua insistência para que a família começasse a processar o leite. “Disse para eles (os filhos do casal) para que ficassem no interior e dessem continuidade ao trabalho dos pais”, comentou Nestor. Lembrou, ainda, que na sua administração anterior muitos produtores de Gramado foram levados para outras cidades para conhecer agroindústrias e se sentirem motivados a agregar valo à propriedade rural.

Um dos méritos do grande número de agroindústrias existentes em Gramado, segundo Nestor, é o incentivo à permanência dos jovens no interior, dando continuidade ao trabalho dos pais.

 

 

Tags:Empreendedorismo

Confira outros posts

Projeto do Estado prevê duplicação da RS-115 e tarifa menor do que a cobrada hoje
Verso, novidade em compartilhamento de espaços na região
EGR promete mais uma obra paliativa na Várzea Grande

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!