Blog Ilton Muller

A fantástica aventura de se aposentar pelo INSS

Burocracia e não reconhecimento dos direitos estão entre os problemas de quem quer se aposentar


Comecei a trabalhar aos 13 anos de idade. Naquela época era assim. Somente aos 17 assinaram  minha carteira e é impossível comprovar isso, com a reforma da Previdência, como também  é com o trabalhador rural. 
 Hoje, com  60 anos  e após quase 40 de contribuição ininterrupta,  tive meu pedido de outubro de 2016 atendido pela Justiça. Próximo da saída de um banco estatal, onde o recolhimento ao INSS era online, e já tendo “escapado” do tal fator previdenciário, fui obrigado a ingressar judicialmente após ter feito várias tentativas de “provar” o tempo de contribuição que tinha registrado em carteira e no sistema “MEU INSS” que, diga-se de passagem, não é do trabalhador...
Foi necessário outro pedido e recursos administrativos, até ser novamente negado.  Um período em que estive afastado – mesmo não havendo interstício no recolhimento que era feito religiosamente no dia pela  empresa -  após  a alta pericial fiz recolhimento  como autônomo como determina a lei,  por já ter me desvinculado do emprego de anos e solicitei aposentadoria, sendo negada novamente.
Ingressei na justiça e fiquei sem benefício por  quase três anos, utilizando parte da minha reserva e dando graças à aposentadoria privada que fiz ao longo da carreira.
Somente agora o processo transitou em julgado e o INSS terá que implantar o MEU BENEFÍCIO - retroativo a 2016 e sem o fator previdenciário a que já fazia jus. O DINHEIRO SUADO DA MINHA CONTRIBUIÇÃO virou precatório para receber em até cinco anos.
Desculpem o desabafo, mas estou somente querendo ajudar aos trabalhadores, principalmente autônomos e que estão no mercado para  concentrarem  suas contribuições, se possível, na previdência privada de bancos estatais ou privados de primeira linha. Não deixe jamais de contribuir com o INSS,  apenas para ter o vínculo social  exigido. Se puder, opte pela previdência privada pois, além de vários benefícios reais, o dinheiro  aplicado é seu e pode ser retirado ou ampliado com aportes financeiros a qualquer momento. Não espere ter seu dinheiro sequestrado por políticos e tecnocratas que ao longo dos anos quebraram a Previdência Social. Aplique em você, principalmente em época de pandemia. Afinal, nessa aventura você é que é o trabalhador.

Tags:Coluna Luciano Jacobi; Opinião

Confira outros posts

Agroindústrias mostrarão a força do interior de Gramado
É possível sobreviver na pandemia sem recursos?
Graduação em EaD da UCS tem descontos durante todo o curso

Cadastre o seu e-mail para receber nossas notícias e novidades!